quinta-feira, 30 de maio de 2013

O começo da jornada

- Evelin, você já pode entrar! Disse em bom tom a simpática recepcionista.

Seguro a caneta com força e minha mão esquerda automaticamente se encaminha ao campo indicado para a liberação do medicamento.

Já em pé, respiro fundo. Observo atentamente a porta fechada que divide a recepção e a ala hospitalar repleta de cadeiras e macas. Encontrava-me exatamente em uma estranha divisa entre dois universos: Quem eu era... Quem eu me transformaria.

Seguro a maçaneta, giro o meu corpo e direciono pela ultima vez o olhar aos meus pais, que estão sentados e de mãos dadas na recepção. Lembro-me da sensação de ir à escola pela primeira vez e esboço um leve sorriso.

Dentro do grande salão, a cor predominante é a lilás. Existem duas televisões ligadas, mas ouço apenas o som dos passos das enfermeiras. Ao meu lado direito, observo através de uma pequena fresta uma enfermeira segurando e acariciando a mão de uma paciente deitada.

Solto todo o meu ar dos pulmões e me sento. Sou visivelmente a mais nova de todas as pacientes de lá, o que gerou alguns olhares de piedade e inconformismo. Ao meu lado, uma senhora reclama de dor enquanto a enfermeira chefe tenta pacientemente encontrar um acesso venoso para a aplicação da quimioterapia.

- Assim você vai assustar a menina. Dizia inutilmente a mulher vestida com uma astronauta.

Enquanto observava a cena, notei que se aproximava outra astronauta. Ela carregava consigo um suporte para o soro e uma caixa nominal a garota do lenço cor de rosa.

- Você sabe como funciona a quimioterapia?

- Não sei, na verdade não pesquisei nada em lugar algum... Não queria correr o risco de me influenciar com ideias negativas a respeito. Respondi, novamente esboçando um tímido e nervoso sorriso.

- E porque entrou sozinha? Perguntou carinhosamente a enfermeira.

- Estamos no escuro. Não gostaria que meus pais sofressem com esse processo...

(...)

Como presente a todo o meu processo, recebi muitas historias que me transportaram exatamente para a minha primeira sessão quimioterápica.

Hoje, reconheço o sentido de tanto nervosismo e insegurança: O medo do inesperado, do “quarto escuro” que é conviver com o diagnóstico e a sensação de falta de tempo para o resto do que “sobrar” das nossas vidas.

Ah, câncer, como aprendi com você. Aprendi a sorrir, aprendi a dar valor ao meu sorriso...

Ah, senhor câncer, como todo o seu processo transformou a minha vida. De menina a mulher, instantaneamente. Tudo isso, logo após a notícia da sua chegada.

Ah, universo, como aprendi a ser grata. Notei a sua existência, me permiti apreciar o seu valor... Reconheci o meu tamanho e graças a isso, sofri muito (muito) menos.

Ah, minha centelha, como sou grata por meu corpo, minhas mãos, pés e pernas. Graças a você, perdi o medo do escuro. Entendi que eu sou muito mais do que isso...  E ainda assim, mesmo após essa paz e esse reconhecimento, obrigada por me permitir ficar aqui... E existir.

Querida sala lilás, obrigada pelas infinitas cores que me ensinaste a observar através dos reflexos do branco, a cor da minha quimioterapia. Você existe. E foi peça fundamental no meu processo de cura...

Que eu saiba diariamente reconhecer o diagnóstico, a minha historia e meus passos. E que eu jamais me esqueça...

E vamos em frente.

13 comentários:

  1. Evelin, quando te conheci, foi aqui mesmo no seu Blog Lenço Cor de Rosa, o blog que do choro me trouxe novamente as ''cores da esperança'' da vida que segue e não desiste de ser feliz, seja em que momento for da vida, ainda assim, buscar a felicidade e, ao encontrá-la, dividi-la.
    Eu cheguei a perguntar para Deus ''como é isso?''
    Uma menina novinha nos ensinando a viver...
    Quase pude ver o sorriso de Deus e me dizendo:
    _ Ela crê e quem crê coisas maiores ainda fará!!

    Evelin Scarelli, eu creio no seu potencial de vida, de amor, e creio que voce pode mudar vidas com sua experiência de vida e narrada aqui ou em qualquer outro lugar.
    O seu lenço é cor de rosa, sua sala foi lilás, sua quimioterapia foi branca e vc nos mostrou o arco-íris que a vida pode nos dar em meio ao cinza que nossos olhos mentais cismam de nos mostrar... Voce nos ensina que nosso coração de vermelho pode extrair todas as cores da vida!
    Obrigada por voce existir!
    Agradeço a Deus todos os dias por isso.
    Carinho...
    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. parabéns para ti também Leila - pela sensibilidade, pelo carinho e principalmente por entender que não é o porque que importa e sim o para que?

      Excluir
    2. Oi Silvio!! Que nada, aqui no Lenço Cor de Rosa todo o contexto é voltado justamente para o ''pra que'' ser preenchido pela vasta e perfeita experiência sensitiva, intuitiva e de amor estendido pela nossa Princesa do Lenço Cor de Rosa, nossa menina linda que Deus nos presenteou e a cada dia nos intensifica de felicidade pela vida dela e por seus lindos, emocionantes textos que tornam nossa vida suave ao ler porque nos faz crer que do asfalto quente uma única semente pode penetrar nesta vida árida e transformá-la em vida cheia de cores e vida.

      O porque foi importante para que todos nós pudéssemos acreditar no ''para que''.

      Para Evelin desabrochar o que Deus deu a ela como Dom.

      Abraços.

      Excluir
  2. Maravilhoso depoimento!
    Compatilhei e compartilho esses momentos em família e com amigos próximos!
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  3. Eita saudades dos teus textos menina. E chega de babação, senão a baba vai melar a minha tela.

    E assim você me transforma, ora em chorão, ora em babão.

    #tamojuntosempre minha amiga, companheira de batalha, luz que transforma aqueles que tem a honra de caminhar ao teu lado.

    Sempre te chamei de guerreira, hoje vou mudar, tu foste promovida a Princesa.

    A Princesa do lenço cor de rosa, que transforma a vida dos seus súditos com amor.

    Um beijo no seu coração

    Silvio

    ResponderExcluir
  4. Olá, é admirável seu trabalho. Muito belo mesmo. E corajoso. E louvável. E lindo. E tudo o mais que você deve ouvir constantemente das pessoas, que admiram verdadeiramente a sua iniciativa, sua força, sua generosidade, etc. Mas queria lhe dizer uma coisa. Doença difícil não é o câncer. É a depressão. Na depressão você não tem força para se recuperar. Não teria forças para ajudar os outros. Não recebe a compreensão da família, da sociedade, dos colegas de trabalho. Na depressão você não pode contar que está doente. Tem de fingir que está bem. Você não tem a compaixão dos outros como o paciente de câncer tem. Câncer é uma doença terrível. Mas em torno dela há a mitificação positiva do sofrimento. Quando uma pessoa diz que tem câncer, todos se comiseram. Olhos marejados, compaixão. Apoio. E quem sofre de depressão? Vai sozinho aos médicos. Marido acha que é frescura e não acompanha a mulher ao médico. Mãe diz que a doença não é tão grava quanto a dor de estômago do irmão. Dê graças a deus por ter tido câncer e não depressão. Na depressão você não teria força para manter um blog. Você não teria nada a dizer aos outros. Você ficaria sozinha. Teria, se não o desprezo, a indiferença alheia. Dê graças a deus por ter tido um câncer e não depressão. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  5. Te conheci no programa do GNT, me interessei e pesquisei teu blog. Lindo demais.
    Com uma amiga passando por este processo, tia, cunhada e outros tantos conhecidos que passam por isso, é impossível não ser tocado.
    Obrigada pelos lindos textos e principalmente parabéns pela enorme compreensão da natureza humana.

    ResponderExcluir
  6. Uma garota de mta força, e com uma atitude nobre. Parabéns, Evelin..Deus te dê saúde.
    Nao passei pelo sofrimento e pela dor do câncer, mas passei pela dor e sofrimento de perder alguem vítima da doença. A princípio foi uma dor terrível, até insuportável. Com o tempo fui valorizando a vida, e assim como voce aprendi a SORRIR e o sentindo de SER FELIZ..como ele tanto me aconselhou "sorria sempre, seja feliz". Com a dor aprendi tudo isso, e hoje desfruto de uma felicidade que nunca tive antes. Sinto falta do meu Max. Foi um presente de Deus conhecer aquele ANJO.
    abraços, menina....

    ResponderExcluir
  7. Oi Evelin,te "conheço "um tempinho atraves de minhas primas e hj vim aqui te dizer que vc é linda de alma,vc é ESPECIAL e que Deus continue te abençoando todos os dias de sua linda vida!
    Monte de beijos.Sou prima da Ana Aguiar e Maísa Aguiar.

    ResponderExcluir
  8. Olá Evelin!
    Entendo exatamente o que é isso. A sala que me aterroriza e me acalma é verde água.
    Me emocionei ao ler seu texto. Lhe vi há alguns meses no "Vamos combinar seu estilo". Estava p... da vida, principalmente, porque ao ligar a TV, sempre me deparava com histórias de câncer. E eu tinha acabado de receber meu diagnóstico. Quando lhe vi no programa, mudei de canal. Porém, na reprise, meu marido lhe assistiu e depois comentou. Na outra reprise, não pude perder e virei sua fã.
    Vc é linda! Parabéns!
    Depois, se der, dá uma passadinha no meu blog: http://cademeutempo.blogspot.com.br
    Bjos!
    Sílvia Fernanda

    ResponderExcluir
  9. Como é lindo vê que através do câncer você renasceu...muitos morreriam.

    ResponderExcluir
  10. Como é lindo vê que através do câncer você renasceu...muitos morreriam.

    ResponderExcluir
  11. Como é lindo vê que através do câncer você renasceu...muitos morreriam.

    ResponderExcluir