quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O câncer e o tempo


O relógio marcava 10 horas da manhã e as malas ainda estavam espalhadas pelo quarto. A garota do lenço cor de rosa voltara de viagem no dia anterior e encontrava-se dormindo no quarto destinado aos netos, preparado e decorado com muito carinho pela avó materna.

O telefone toca, deixando a voz da garota um pouco “embriagada” antes de atender a ligação:

- Alô, pai? Estava de férias, mas tentou disfarçar a voz a fim de que seu pai não reclamasse do horário.

- Filha, você está acordada? Por favor, não faça alarde e não comunique ninguém, mas estou aqui em Atibaia... Precisamos ir ao médico.

(...)

Lembro-me exatamente de cada detalhe daquele dia. Meu pai me esperando na esquina, as músicas que escutamos no carro, a roupa que usava...

Lembro-me também de ter contado da viagem, dos lugares que conheci e até de ter mostrado algumas fotos da festa em Brasília.

Passamos pela recepção lotada do hospital e sem nem sermos anunciados, estávamos dentro do consultório médico.

O Dr. Fábio encontrava-se ali, sentado, segurando em suas mãos um pequeno envelope branco e com uma expressão completamente desconcertada em seu rosto. E assim ficamos por alguns minutos, conversando como que telepaticamente, através do olhar.

- Evelin. Gostaria de dizer que essa é uma situação muito complicada como médico e como pai de família. O resultado do seu exame chegou e infelizmente, não tenho a notícia que gostaria tanto de lhe dar. A princípio desconfiei e enviei a amostra da sua biópsia a mais 4 laboratórios, mas todos eles confirmaram o mesmo diagnóstico. Você esta...Evelin, você está...

(Coitado do Dr. Fábio, desmontou completamente quando encarou os olhos do meu pai)

- Eu tenho câncer?

- Sim, você tem câncer. Disse o querido médico se recompondo. Mas no exame mostra que o nódulo está em estágio inicial e você...

Interrompi o médico

- Eu tenho uma semana para sentar e pensar nisso tudo?

- Não. Infelizmente você não tem essa semana. Estamos no tempo certo para agir e já marquei a sua cirurgia. Você sairá daqui e já irá direto para a equipe dos exames pré-operatórios que já está a sua espera. Você conhece um cirurgião plástico? Posso te indicar um de confiança...

- E eu vou ficar careca?

- Evelin, eu...

- Tá, tá tudo bem.

(...)

A você, companheira de diagnóstico, tenho certeza que a minha “iniciação” ao câncer não foi muito diferente da sua.

Ô diagnostico difícil de se dar. Ô situação complicadíssima essa de “passar a notícia a diante”.

Hoje, dia 12 de dezembro de 2012, o meu diagnóstico completa 1 ano de vida. 1 ano. 365 dias. 8760 horas. 525600 minutos... 31536000 segundos.

Partindo desse ponto, resolvi fazer um teste e compartilhar, com muito carinho, alguns –poucos- fatos e curiosidades sobre essa minha jornada. Tudo bem para vocês, companheiros oncológicos?

1)    Vocês sabem qual foi a primeira música que ouvi depois que recebi o meu diagnóstico de câncer? “Morte e Vida Severina”, do Chico Buarque. Pra quem não conhece, a letra diz mais ou menos assim: “Esta cova em que estás, com palmos medida. É a conta menor que tiraste em vida. É de bom tamanho, nem largo, nem fundo.. É a parte que te cabe deste latifúndio”. Ave Maria, né? Hoje essa história me rende algumas boas risadas, mas na hora me rendeu um belo momento de meditação. Só que ao contrario...
2)    Se existe melhor hora de se passar a notícia a diante? Infelizmente, acho que não. Demorei um bom tempo até entender que poderia deixar as coisas bem mais simples a partir do momento que aceitasse os fatos. A minha paz em relação ao câncer teve influencia direta na estabilização dos meus pais, da minha família e dos meus amigos mais próximos. Meus pais são incríveis, então não fui a escolhida para ser a porta-voz dessa notícia. Mesmo assim, tive que segurar bem a barra com os choros desesperados no meu leito hospitalar e com as ligações na madrugada. Calma lá, né? Tô viva, poxa!
3)    Antes achava que estava perdendo tempo em algumas questões da minha vida. Depois de um tempo, tive certeza. Mesmo assim, fiquei feliz por ter a consciência de que estava viva para perder esse tempo. 
4)    Assustadoramente, não me estresso com mais nada. Pego uma fila de 2 horas no caixa do supermercado e acho romanticamente incrível. Demoro quase 3 horas todos os dias na marginal pinheiros para chegar até a faculdade e vou cantando e apreciando a vista. Sinceramente, não sei o que aconteceu. Só espero que perdure. E espero que isso também aconteça com você.
5)    Semana passada uma criança me viu na rua e (por causa do meu corte de cabelo) perguntou se eu era um menino. Confesso que aquilo me chateou um pouco, mas nada que uma bela saída de peruca não me recomponha emocionalmente.
6)    Em determinada fase do processo oncológico, me senti a própria Magali da turma da Mônica. Obrigada, Cortisona, por todas as fatias de pizza, pratos de macarronada, sorvetes, sucos, sanduiches, pratos de arroz com feijão, mais macarronada, mais sorvete e mãããe, me traz melancia com açúcar?
7)    Acredito que fiz todos os tratamentos alternativos que uma pessoa possa fazer para se curar de determinadas coisas. Até de quebranto eu tô garantida. E parece que salvei algumas próximas encarnações também.
8)    Fiz alguns amigos passarem vergonha graças ao meu humor negro. Para algumas pessoas, a melhor maneira de se passar por um câncer é chutando o balde emocional e reclamando de Deus e o mundo. O meu caso foi o oposto. Acredito que isso tenha me feito seguir a diante da melhor maneira possível. E resultado são vocês, frequentadores dessa casa chamada “Lenço cor de rosa” e meus heróis emocionais.
Obrigada a todos vocês por esses 365 dias de companhia, lágrimas, palavras e carinho, foi um ano bem mais fácil, graças a vocês. E vamos em frente? 

13 comentários:

  1. celia regina12 dezembro, 2012

    filha querida,as vezes penso que como seria se fosse comigo tudo isso que voce esta passando e passou,sabe sei que deus da a força necessaria para a gente,mas creio que nao conseguiria ter tanta força como voce querida,e estranho mas nao suportaria nao tanto assim.voce e um exemplo de vida extraordinario,voce e forte,voce tem sua luz propria para fazer a gente sempre se acalmar e eu acredito que essa batalha ja esta ganha que voce e uma vencedora,continue assim ajudando muitas pessoas por aqui e em sua vida.

    voce e muito especial saiba sempre disso,te amo obrigada por ser assim voce realmente e um ser iluminado .









    sta ajudando muita gente com sua historia de vida.so tenho a agradecer a voce filha adorada por ser essa menina tao especial que deixa sempre nossos coraçoes mais calmos com sua docilidade,

    ResponderExcluir
  2. EVy...adoro ler estes seus posts..tão simples e intensos..

    Sinto saudades da nossa época juntas...e sinto não poder estar por perto..

    Beijos

    Natália Amanda

    ResponderExcluir
  3. Evelin, você é um barato, mina... ri pacas com seu post. Você tem o dom de tornar uma coisa tão densa simplesmente leve.
    Avante, mocinha, muito trabalho pela frente, moça.
    Bjs Sâmicos para você

    ResponderExcluir
  4. Feliz po vc ser forte, linda e uma pessoa que ensina com o coração. Vc é um presente de Deus.
    Bjs da prima Déboa

    ResponderExcluir
  5. Adorei o item 4 Evelyn. O dia do diagnóstico é um baque mesmo, mas passa. Tamo junto!

    ResponderExcluir
  6. Evelin,
    Me deu até um nó na garganta ao ler esse post.
    Que bom que você superou e que bom algo assim ter feito você mudar para melhor! Que você tenha muita saúde para curtir a vida, as longas viagens e as filas de supermercado! Bju ;*
    Isaura

    ResponderExcluir
  7. Evelin querida, não é fácil receber um diagnóstico desse, nem para o médico dar, mas é como vc diz, chutar o balde só torna as coisas mais difíceis. Vc aprendeu com a situação, e ensinou e está ensinando, dando força talvez a quem não tinha.
    Que venham muitas filas enormes,de supermercado, de banco,etc. vamos sempre lembrar de dar Graças por estar ali enfrentando o que antes era tedioso. bjs.

    ResponderExcluir
  8. Menina, você me permite chorar...

    Você me fez lembrar os momentos em que eu recebi a notícia. A primeira coisa que eu pensei foi em minha filha, então com nove anos. E agradeci a Deus em não ser com ela

    Quando você começou o seu texto, lágrimas escorreram pela minha face, imaginando a dor que o seu Pai devia estar sentindo.

    Muito obrigado...

    equação matemática

    “ORAÇÃO = PRECE + AÇÃO”

    De nada adianta, orarmos, se não fazemos nada para ajudar a nossos irmãos.

    ResponderExcluir
  9. Nao vou falar aqui do sofrimento de uma avó,daria para escrever um livro.Mas voce sempre positiva.Enfim voce aceitou com tanta grandeza que acabou dando apoio a toda familia.
    Voce passou a enxergar sonhos e saber realiza-los
    Sabe minha querida essa doença para voce veio como um trampolim para te impulsionar a uma vida mais produtiva e feliz.
    Ele mudou para melhor ,ele fez com que voce reativasse suas forças interiores de tal modo que tenho certeza que voce ja se curou .Sua melhor escolha foi foi o amor o melhor caminho ,nele Deus esta pois so o amor controi so pelo amor se é feliz e essa é voce minha querida ,meu orgulho meu grande amor .parabens continue assim e os anjos dirao amem.
    Beijos eu te amo e admiro tua Abuelita.

    ResponderExcluir
  10. Evelin,adorei o blog, suas postagens e sua clareza ao se expressar são excepcionais. e sei como é difícil manter a lucidez e equilíbrio diante de tudo que passou. Parabéns por 1 ano de luta, pois depois do diagnóstico, temos que comemorar todas as vitórias!!Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  11. Seu blog é um aprendizado de vida,exemplo de força,
    e superação um aprendizado.
    Isso aqui mexeu muito comigo:"Assustadoramente, não me estresso com mais nada. Pego uma fila de 2 horas no caixa do supermercado e acho romanticamente incrível. Demoro quase 3 horas todos os dias na marginal pinheiros para chegar até a faculdade e vou cantando e apreciando a vista".

    Você me fez pesar diferente!!
    UM feliz 2013 e muito conquistas e vitorias para sua vida.

    ResponderExcluir
  12. Querida Evelin,
    Sinto lhe informar, mas você meio que ganhou uma perseguidora! Li todo o seu blog em dois dias, te procurei no Facebook e dei subscribe nos seus posts públicos, li entrevistas...
    O fato é que me identifiquei com vc, também tenho 23 anos, fui diagnosticada há 3 semanas com cancer de mama e fiz minha primeira quimio ontem. Também nao tenho histórico na família, nem nenhuma explicação plausível para o porque isto esta acontecendo comigo. Mas estou bem! Surpreendentemente bem!
    Nao tenho nenhuma pretensão de virar blogueira, mas criei um blog mais para dar notícias para amigos e família, porque sinceramente nao agüento mais repetir as mesmas coisas...acho que você entende.. Nem sei bem porque de escrever aqui, fiquei feliz de saber que não estou sozinha, e talvez vc tb fique de saber que tem mais uma companheira!
    Você escreve muito bem, e eu fiquei sinceramente tocada pelos seus textos. Muito obrigada por eles!
    Fica com Deus, torço por você!
    Beijos,
    Marcela Ribeiro
    Marcelaland.wordpress.com

    ResponderExcluir
  13. OI Evelin, temos um blog que fala de diferentes ações de propagação do amor desinteressado e, hoje, falamos desse seu post http://vibedoamor.com/2013/01/16/lenco-cor-de-rosa/
    Estamos juntas nesta causa!!!
    Um forte abraço do Vibe do Amor (vibedoamor.com)

    ResponderExcluir